CELIBATO CLERICAL

Por Cledson Ramos – Apostolado Veritatis Splendor

 

Antes de mais nada, é preciso dizer que o celibato de padres e freiras, bem como de todos aqueles que fazem voto de castidade perante Deus e a Igreja, não é um Dogma (matéria de fé), mas apenas uma norma disciplinar interna da Igreja.

 

Como tal, a Igreja poderá alterar esta disposição (como já fez) ao longo do tempo. Da mesma forma, não há obrigação para que os católicos concordem incondicionalmente com tal regra. No entanto, devido a tantas confusões que o público faz quando se trata do assunto, é interessante saber porque a Igreja optou pelo celibato de seus religiosos.

Na verdade, os clérigos optaram por um outro tipo de matrimônio: um casamento com a Igreja. Assim, um sacerdote, que não tem os deveres de pai e toda as preocupações que são inerentes a um chefe de família, pode se dedicar plenamente a sua paróquia, a sua missão de evangelizador.

 

Dos doze apóstolos, três eram casados (incluindo São Pedro, o primeiro Papa), mas nove eram celibatários. O próprio Jesus Cristo se manteve casto.

Com o tempo, os bispos e presbíteros da Igreja vão percebendo que esta condição mais próxima de Cristo era também a mais eficaz para o trabalho de evangelização. De fato, um pai de família não tem o mesmo tempo para cuidar da messe que um solteiro. Sem falar em outras questões, como a necessidade de se deslocar de uma região para outra.

Neste sentido, é que em 303 d.C. o Concílio de Elvira (Espanha) recomenda o celibato como norma para os religiosos. Na verdade, o Concílio apenas foi de encontro a uma realidade que já se fazia presente na Igreja.

 

Da mesma forma que várias instituições têm suas normas internas, a Igreja também as têm, com todo o dever e legitimidade para tanto. Ninguém é obrigado a ser padre, freira ou monge, mas caso decida por esta bela opção de vida, sabe das responsabilidades que está para assumir. Mutatis mutandis, é como quem decide entrar para as forças armadas: sabe das restrições que esta decisão implica, e mesmo dos riscos (tipo ser chamado para a guerra), mas se o faz, entende-se que há um ideal maior a justificar.

 

Haveria ideal maior do que procurar servir plenamente a Cristo?

 

Quanto a simples alegações dizendo que “o celibato vai contra a natureza do homem”, tal não pode ser considerado, a menos que queiramos reduzir o homem a uma função meramente sexual, quase animalesca, esquecendo que se trata de um ser inteligente, dotado de alma e de ideais. E quanto não foram os exemplos de homens e mulheres que viveram feliz em sua condição de celibatário?

 

O exemplo típico é o de Santo Agostinho, que antes vivera em concubinato e, depois de converso ao Catolicismo, chega a exaltar o celibato, até mesmo de forma um tanto exagerada.

 

Mas para não ficarmos apenas no Cristianismo (o que já é mais do que suficiente), devemos lembrar do próprio Gandhi, que deixou a mulher para melhor lutar pelo ideal de libertação de sua pátria.

 

O que a sociedade moderna não entende é este “contra-testemunho” de pessoas que insistem em se manter castas, quando tudo “conspira contra”, a começar pelos meios de comunicação em massa, que elegeram o sexo como um elixir mágico para todos os males.

Obviamente o sexo em si não é algo condenável. Pelo contrário, faz parte do Matrimônio, Sacramento da Igreja, exercendo a função de complementação entre o homem e a mulher, bem como a geração da vida. Funções, aliás, bem mais nobres do que outras que a sociedade moderna elegeu como justificativas das libertinagens a que hoje assistimos.

 

Mas, e a Bíblia, o que diz?

 

Os fundamentalistas em uma ponta, e os liberais em outra, dizem que o celibato é condenado pelas próprias Escrituras.

Neste sentido, citam versículos do tipo: “Crescei e multiplicai-vos”. Ora, este é um mandamento para a humanidade em geral, e não para cada indivíduo. Se fosse assim, João batista, Cristo, São Paulo e boa parte dos apóstolos estariam, de cara, desobedecendo uma das recomendações que consta logo no início da Bíblia.

 

O próprio Cristo em Mt 19, 12 exalta o celibato:

 

“Pois há homens incapazes para o casamento porque assim nasceram do ventre da mãe; há outros que assim foram feitos pelos homens, e há aqueles que assim se fizeram por amor do reino dos céus. Quem puder entender, que entenda”.

Quem puder entender, entenda…!

 

Mas Cristo continua:

 

“E todo aquele que deixar casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou campos por amor de meu nome, receberá cem vezes mais e possuirá a vida eterna.” (Mt 19,29)

São Paulo endossa tal posicionamento:

 

Quisera que todos os homens fossem como eu; mas cada um tem de Deus a sua própria graça; este uma, aquele outra. Contudo, aos não-casados e às viúvas eu digo: é melhor para eles que permaneçam como eu.” (1Cor 7,7-8)

Ou ainda:

 

“Estás ligado a mulher? Não procures a separação. Estás livre de mulher? Não procures mulher.” (1Cor 7,27)

 

“Eu vos quereria livres de cuidados. O celibatário cuida das coisas do Senhor, de como agradar ao Senhor. O casado deverá cuidar das coisas do mundo, de como agradar à sua mulher, e assim está dividido. A mulher não casada e a virgem só se preocupam com as coisas do Senhor, com ser em corpo e em espírito. Porém a casada se preocupa com as coisas do mundo, como agradar ao marido. Isto vos digo para vossa conveniência, não para vos armar um laço, senão olhando ao que é melhor e ao que vos permite unir-vos mais ao Senhor, livres de impedimentos.” (1Cor 7,32-35)

 

Por outro lado, quando São Paulo recomenda a São Timóteo que “o epíscopo tem o dever de ser irrepreensível, marido de uma só mulher, sóbrio, prudente, modesto, hospitaleiro, capaz de ensinar” (1Tim 3,2) não está obrigando São Timóteo a casar. Nem podia: um celibatário escrevendo para outro, mandando-o casar? Não faz o menor sentido!

 

O que São Paulo diz é para São Timóteo ser diligente na escolha de novos bispos, já que estes precisam ser pessoas exemplares para a comunidade. Só. Quem ler o trecho bíblico citado, com um mínimo de sensatez, não pode dar outra interpretação.

 

Se há clérigos que, infelizmente, não cumpriram os seus votos, isto não pode ser usado como desculpa para dizer que o celibato é imprestável, inviável, etc. Se fosse assim, toda e qualquer lei devia ser abolida, em respeito a seus infratores!

 

Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es).

 

Para citar este artigo:

 

RAMOS, Cledson. Apostolado Veritatis Splendor: CELIBATO CLERICAL. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/100. Desde 16/07/2002.

Anúncios

4 Respostas

  1. Comentarios transferidos:

    Marlos Oliveira, em Março 15th, 2009 às 5:42 pm Diz: Edit Comment
    Eduardo Fernandes,

    Boa tarde,

    Desculpe-me sair do tema.

    Quero deixar aqui a minha opnião sobre o problema da pedofia,
    O número de padres pedófilos é bem maior do que o número de pastores pedófilos. Digite entre aspas “padres pedófilos” ou “pastores pedófilos” no google, digite entre aspas, senão o google não separa direito e embos ficam equiparados, mas quando você digita com aspas você ve que aparecem muito mais padres pedofilos do que pastores pedofilos. Eu acho que o problema do maior numero e o celibato.

    obrigado.

    meire, em Março 15th, 2009 às 6:47 pm Diz: Edit Comment
    Júlio,

    aind não tinha visto o assunto do Idolatria na Igreja Romana – Tratado da Verdadeira Devoção: http://www.scribd.com/doc/932744/Idolatria-na-Igreja-Romana-

    meire, em Março 15th, 2009 às 7:40 pm Diz: Edit Comment
    Julio,

    cadê sua resposta?
    Você respondeu as afirmações do eduardo ferreira e do gustavo de oliveira, mas sua resposta foi retirada do blogue, por que fizeram isso? a unica coisa que sobrou foi o link que copiei, http://www.scribd.com/doc/932744/Idolatria-na-Igreja-Romana-

    julio., em Março 15th, 2009 às 8:14 pm Diz: Edit Comment
    Não tem como colocar a resposta, bloquearam, coloquei um pedaço, mas falta o resto, mesmo assim acho que não ira ficar

    Eduardo Fernandes, em Março 16th, 2009 às 1:45 am Diz: Edit Comment
    Marlos,

    É bastante conveniente que uma Igreja de 2000 anos tenha muito mais casos de determinadas coisas do que outras menos antigas. O que não quer dizer que não exista o problema. Se o problema é mesmo o celibato, como você afirmou, por que existem pastores pedófilos? O problema da pedofilia não é o celibato, mas sim do coração e da mentalidade da pessoa que pratica esse ato. Mais uma vez: ninguém é obrigado a ser celibatário, afinal de contas, ninguém é obrigado a ser sacerdote. Existem inúmeras formas de servir a Deus. Para servir a Deus no sacerdócio, a Igreja Católica entende que deve ser uma servidão plena, não podendo assim o sacerdote ter as preocupações do mundo, mas sim as de Deus, como nos diz São Paulo, que também era celibatário. Nem a Igreja Católica nem a Igreja Evangélica tem culpa de terem sacerdotes pecadores, pedófilos ou adúlteros.

    Meire,

    Eu costumo, até para seguir o mandamento do Senhor que diz: não darás falso testemunho, sempre ler e procurar as fontes do que estou lendo com bastante cuidado. Esse link que você apresentou tem textos do Denzinger e do livro Tratado da Verdadeira Devoção, de São Luis Maria Grignon de Montfort. Antes de dizer que o teu link diz a verdade, você parou para ler algum dos dois livros citados? Se não, como pode dizer que o texto é fiel à doutrina católica, ou que reproduz fielmente o que ensina a Igreja? É bastante estranho uma encíclica papal contradizer o catecismo, e isso o que tenta mostrar o seu link. Para o seu desprazer, Meire, devo dizer que a fonte que o seu link consulta, não é o Denzinger da Igreja Católica. E o mesmo vale para o livro do Tratado. Isso aliás é uma pratica muito comum entre os protestantes, distorcer as palavras (letras) do que a Igreja ensina. Infelizmente não tenho o link do Denzinger em português, mas vai o em inglês: http://www.catecheticsonline.com/sourcesofdogma.php… Vou continuar rezando para que os protestantes não sejam tão covardes a ponto de distorcer o ensinamento da Igreja, já que pelo visto para isso vale até falsificar documentos da Igreja Católica… Que Deus os abençoe…

    meire, em Março 16th, 2009 às 11:36 am Diz: Edit Comment
    Eduardo Fernandes,

    Obrigado por sua informação,

    Mas Eduardo, olhe este documento é muito profundo, para conter todos os erros que você falou, acho mesmo que pode conter erros, mas ainda estou a penssar em tudo o que você disse, pois eu não acho que o texto esteja tão errado assim. Acho que contêm informações verdadeiras, quando eu li, achei que poderia conter erros e ao mesmo tempo achei que contêm informações verdadeiras. Andei dando uma olhada em seu comentário com o júlio, você também cometeu erros, entende como ainda pensso em aproveitar o texto. Eu sou assim, leio tudo o que me dizem, depois aproveito o que acho que é bom, li seu comentário com o júlio, li o comentario do júlio, confesso que vou pegar o que ver que é bom e o que realmente me interessa. Eu acho que você é uma pessoa boa e o júlio também, mesmo um sendo católico e o outro não.

    Eduardo Fernandes, em Março 16th, 2009 às 11:55 am Diz: Edit Comment
    Meire,

    O texto realmente não está todo errado, mas as palavras usadas no verdadeiro Denzinger não são as que você apresentou no seu link. As citações “Divina Maria”, por exemplo, não existem. Entre muitas outras palavras que não existem no verdadeiro Denzinger. Com relação aos meus erros, certamente posso ter cometido alguns, mas a doutrina que apresentei é o ensinamento que a Igreja recebeu dos apóstolos e que a mesma guarda há 2000 anos. E, contando com a assistência do Espírito Santo, conforme exaustivamente já comentei, a Igreja em questões de fé, doutrina e moral, é inerrante. Senão Jesus estaria errado ao dizer que as portas do inferno não prevaleceriam sobre as portas da Igreja. Não é a nossa profissão de fé que nos tornará inimigos, mas também não posso aceitar generalização de idéias, como a de que todo católico é idólatra e que o ensinamento da Igreja está incorreto. Sou católico, e não sou idólatra. Sei que a idolatria ronda os corredores de muitas Igrejas Católicas, assim como a idolatria ronda muitas Igrejas Evangélicas também. Por isso não aceito acusações baseadas em algumas pessoas que não seguem corretamente a doutrina da Igreja. Espero que me tenha feito entender. Que Deus a abençoe.

    meire, em Março 16th, 2009 às 3:08 pm Diz: Edit Comment
    Eduardo,

    Não vou tornar meu comentário em um vai e vem, você sabe que a 2000 anos o celibato era opcional, ou seja, hoje para ser padre no Brasil você tem que ser celibatário, o celibato a 2000 anos não era assim. Ninguem é obrigado ser padre pelo que entendi no seu texto, mas o texto do júlio explicou, também ninguém do brasil é padre sem ser celibatário, parace que foi você ou o gustavo de oliveira que disseram que só os diaconos não são celibatarios.
    O verdadeiro Denzinger, como o proprio nome da a intender é outro, o do link, que estamos comentando também é outro, eu acho que ele possui seu valor e eu disse, não discordo totalmente de você, nem do mesmo, nem discordo totalmente do júlio.
    Me sinto envergonhada, mas uma vez entro neste blogue e vejo que vocês retiram a resposta do julio da pagina, assim não sei mais na sinceridade de vocês! Por favor! Lamento muito!

    Eduardo Fernandes, em Março 16th, 2009 às 3:40 pm Diz: Edit Comment
    Meire,

    Há pouco tempo atrás, as meninas que frequentavam a Assembléia de Deus, ficavam proibidas de usar maquiagem, hoje a história é diferente. Há 2000 anos atrás o celibato era opcional, mas a Igreja com o tempo entendeu que para melhor servir a Deus, os padres deveriam se entregar completamente a Deus, sendo celibatários. Não vou entrar aqui no mérito de que alguns não cumprem seu celibato, disso nós sabemos. Mas enfim, são apenas normas, que com o passar do tempo a Igreja viu que se faria necessária, da mesma forma que a Assembléia de Deus fez com a maquiagem nas meninas. Sou obrigado a discordar de você quando você diz que o Denzinger do seu link “tem o seu valor”. Não tem valor nenhum. A partir do momento que existe um texto e esse texto é modificado para justificar a teoria de alguns, trata-se de um texto falsificado. O link do Denzinger correto, da Igreja Católica, é o link que eu informei, infelizmente em inglês. Com relação ao comentário do Julio, eu também acho muito constrangedora essa situação. Mas cabe ressaltar que não sou administrador do blog e nem tenho contato algum com a administração do site. Sou um mero visitante. Que Deus a abençoe.

    Meire, em Março 16th, 2009 às 10:11 pm Diz: Edit Comment
    Eduardo Fernandes,

    O problema da maquiagem das meninas é o seguinte, a Igreja Assembléia de Deus reconheceu que a maquiagem das meninas estava sendo ensinada errada e voltou atrás com o erro. O problema do celibato dos padres é o seguinte, a Igreja Católica Apostólica Romana sabe que a Bíblia diz CONVEM QUE O BISPO SEJA CASADO, MARIDO DE UMA SÓ MULHER e que não é bom que o homem não esteja só, mas a igreja católica não quer voltar atrás com um erro que começou na imposição, assim como a maquiagem das meninas. Espero que os padres que já estão procurando a autorização do vaticano sejam bem sucedidos, pois tenho um parente que esta sofrendo com o problema, já teve até acompanhamento psicológico.

    Eduardo Fernandes, em Março 17th, 2009 às 12:59 am Diz: Edit Comment
    Meire,

    A mesma pessoa que disse que convém que o bispo seja casado disse que gostaria que todos fossem como ele. Contraditório, não acha? Não interprete a Bíblia tão superficialmente. São Paulo falou essa frase porque sabia do duro encargo que é o celibato. São Paulo disse que quem é casado tem as preocupações do mundo, e que quem dera todos fossem como ele, que vivem exclusivamente para Deus. Inclusive admoesta aos viúvos (as) que não se casem novamente, aos solteiros, que assim permaneçam. Agora vem cá, na sua Bíblia não tem essas passagens ou você ousa dizer que São Paulo estava errado ao pregar o celibato bem como a Igreja o faz? Meire, não use sentimentalismos… Seu parente sabia que seria celibatário… Se não queria, era porque sua vocação não era ser padre. Você pode me perguntar: “mas ele queria o sacerdócio…” Pois bem, que seja diácono! A única coisa que o diácono não pode fazer é consagrar a hóstia. Só isso. Não há desculpas. Mais uma vez, não vou falar daqueles que não cumprem com a sua vocação ou a cumprem de maneira incorreta, mas o padre deve ser o representante de Cristo na terra. E Cristo, Meire, não era casado. Dê a Cesar o que é de Cesar, e a Deus o que é de Deus. Cada um com a sua vocação. Cristo disse que cada um deveria pegar a sua cruz e carregá-la diariamente. Não se apegue a soluções fáceis, como permitir o casamento de padres. Se o problema é a pedofilia, saiba que a grande maioria dos pedófilos são casados. Citei o exemplo de pastores pedófilos, em maior ou menor número, não importa, o casamento não é a solução. Você fala mais uma vez de imposição. A Igreja não impõe a ninguém que seja padre, é padre quem quer ser, e quem tem a coragem de servir a Deus sobre todas as coisas. Não é como nós, hipócritas, que queremos sempre um Deus como solução fácil para os nossos problemas, que queremos adequar Deus às nossas vontades. Por último, Meire, me mostre na Bíblia quantos apóstolos seguiram seu ministério casados. Você poderá citar Pedro, no episódio da cura da sogra dele. Mas cadê a mulher dele? Não significa que ele exerceu seu ministério casado com ela, nem significa que ela ainda estava viva. Moisés largou toda a sua família para servir a Deus. Será que todos eles estavam errados, Meire? Eu falo por mim, quem me dera poder servir a Deus por inteiro, de corpo e alma, de todo o meu coração e entendimento, mas eu já tenho as preocupações do mundo, sou casado. Busco servir a Deus sim, de outras formas, mas admiro muitíssimo aqueles que, conforme Cristo falou, são eunucos por causa do Reino dos Céus. Quem tiver ouvidos para ouvir, ouça.
    Que Deus a abençoe.

    Meire, em Março 17th, 2009 às 11:59 am Diz: Edit Comment
    Eduardo Fernandes,

    Muito bacana seu cometário sobre sobre Paulo, tudo seria muito nos conformes da idéia esplicada por você se o primeiro papa (?) Pedro não tivesse sido casado, outra do que escreveste é sobre o casamento de Jesus, você quer comparar a vida de Jesus que sabia que iria morrer aos 33 anos com a vida de padres que vivem quase 100 anos. Imaginem só se os solteiros fossem ficar solteriros, ja não existira Cristão, pois a população dos cristãos não se reproduziria, a Bíblia na verdade da duas visões sobre muitos assuntos, mas se o texto de Paulo fosse para ser levado ao pe da letra, não estaria escrito também CONVEM QUE O BISPO SEJA CASADO. ASSIM COMO PEDRO FOI. Eu disse que meu parente esta tendo problemas pscológico porque não deixaram ele ser padre sem ter que assumir o celibato. O problema da grande maioria dos pedófilos serem casados conforme você disse, o que acontesse é que você generalisou todos os pedófilos do mundo, desviando o assunto sobre a pedofilia religiosa onde a maioria dos pedófilos são pessoas que não são casadas. O problema dos pastores pedófilos esta quase equiparada a quantidade geral do mundo e o problema dos padres pedófilos está alem da media normal dos padres da igreja ortodoxa que aceita padres casados. Sinceramente estou cansada de religiões radicalistas, não podemos ser radicais impondo o celibato para padres, só porque pessoas como você acham que sim, temos que entender também os padres que estão tendo problemas com o celibato radicalista, que não aceita padres casados. Você disse que a igreja não impõe ninguem que seja padre, realmente, o que a igreja faz, impõe que para ser padre tem que ser celibatório. Paulo falou dos problemas do casamento, mas também a bíblia falou que muitos quando ficam só se abrasam. Entedeu como a Bíblia não foi radical no assunto do casamento de seus lideres, ela disse que uns são por natureza, que o casamento é problemático(…), mas também que existem uns que se abrasam, ou seja, o casamento do lider religioso não é imposição, deve ser uma escolha pessoal de cada um, sem impedilo de poder ser um lider maior. A final, a maior instituição é a familia. Só proque meu parente não esta suportando ser celibatírio terá que deixar de ser padre e ser diácono, nunca podendo chegar a papa, por causa de um ensino que não é flexivel!
    Não sou evangélica, mas deixem o comentário do júlio, vocês retiraram o ultimo comentario dele, assim vou ficar com o pé atras, parece que o povo não pode ver o que ele escreveu..

    Eduardo Fernandes, em Março 17th, 2009 às 2:07 pm Diz: Edit Comment
    Meire,

    Não sou radical, apenas apóio a decisão da Igreja. E outra coisa, o abaixo assinado que você citou no seu outro comentário é de uma minoria. A maioria dos padres no mundo querem continuar celibatários. Tanto é minoria que mesmo com esse abaixo assinado correndo por aí, a Igreja nem sequer toca no assunto do celibato. Mais uma vez repito, a Igreja não obriga ninguém a ser padre. Existem outras formas de servir a Deus. Por que seu parente não poderia ser diácono? É uma servidão tão bela quanto a do padre ou até mesmo do papado. Seria por interesses próprios? Pois como eu disse, se é pelo interesse de servir a Deus, cada um sirva conforme sua vocação. Outro dia estava no ônibus e ouvi um rapaz evangélico falando muito bem acerca do livro do Gênesis, muito bem mesmo. A pessoa que estava ouvindo perguntou se ele não gostaria de ser pastor, sabe qual foi a resposta? “Não posso. Sou casado e tenho que sustentar minha família, a menos que o salário seja muito bom”. É para isso que você quer flexibilidade, Meire? Para ver servos de Deus desistindo do sacerdócio por coisas do mundo? Ou deixando de servir a Deus como deveria (com todo amor e entendimento) por causa da esposa? Conheço muitos evangélicos… Muitos mesmo… E muitos pastores… Posso te dizer que muitos deles não saem em missão por causa da família deles. E assim, por causa da família, ele deixa de servir a Deus como foi chamado. Sua teoria flexível é realmente muito boa, Meire. A Igreja Católica, conforme o Papa Bento XVI disse, não está preocupada com a quantidade, mas sim com a qualidade. Mesmo que haja um só padre na Igreja, mas que ele o seja inteiramente de Deus, para servi-lo e amá-lo como Ele deve ser servido e amado. Não dividindo a atenção do que é de Deus com o que é dos homens. E sobre a primeira linha do seu comentário, sobre Pedro ser casado, a Bíblia não especifica se Pedro exerceu seu ministério ainda casado ou não. E mais outra coisa, a Bíblia não proíbe que o servo de Deus seja celibatário, ela deixa a questão em aberto, e a Igreja Católica, com a assistência do Espírito Santo, achou que seria melhor servir a Deus sem a interferência do mundo, pelos exemplos que demonstrei acima. Não vou nem falar sobre os ortodoxos, até mesmo porque, ano passado, 400.000 (quatrocentos mil) ortodoxos pediram a plena comunhão com a Igreja e o seu retorno para a mesma. Com relação ao comentário do Julio, mais uma vez, não sou administrador do blog, não tenho como mudar nada, portanto, pode estar certa de que não fui eu quem tirou o comentário dele do blog. E quanto a ficar com o pé atrás, se fosse por isso, eu deveria ficar com o pé atrás contigo e com o Julio, por ter apresentado aquele link com um documento católico falsificado. Não seja assim tão flexível.
    Que Deus a abençoe.

    • Respondendo a protestantes que entrou aqui nesse site católico eu quero dizer a ela: o fato de uma pessoa ser celibatário ou solteira não dá o direito a ela de ser pedófila. Se você fosse solteira tortura protestante Quer dizer então que você praticaria pedofilia?

  2. Não entendo quante celeuma por causa do celibato religioso. A questão é simples, a regra é: vocação para o sacerdócio então celibato. Se vc quer ser padre então vc aceita o celibato. Ninguém é obrigado a ser padre, e sem essa de “quero ser padre mas sou obrigado ao celibato forçado”. Uma vez que vc aceita o sacerdócio vc aceita todas as regras desta condição sacerdotal.

  3. mais que cocozinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: